Escada Rolante

Escada rolante tem dois problemas sérios no Brasil. Um é higiênico. O outro de comportamente.

Vamos primeiro ao higiênico.

Você já parou para pensar a quantidade de sujeira que contém um corrimão de escada rolante? Imagine a quantidade de homens que saem do banheiro sem lavar as mãos e tocam logo em seguida em um corrimão ou maçaneta? (muitos fingem que lavam, passando a mão por 2 segundos debaixo da torneira, secando logo em seguida – não sei como é nos banheiros femininos). Já imaginou a quantidade de pessoas com gripe ou outras doenças infecciosas que levam as mãos à boca e em seguida a um corrimão? Por outro lado, será que é mesmo necessário pegar no corrimão para usar uma escada? Claro que não posso extrapolar para qualquer pessoa, mas a maioria deve conseguir usar escadas normais e rolantes sem se agarrar ao corrimão. Aliás, de minha parte, nem escada rolante uso. Aproveito para fazer exercício sempre que há uma escada convencional por perto. Mas, tenho uma segunda razão para não usar escadas rolantes.

O segundo fator: Comportamental

Dizem que viajar é uma das coisas que mais trazem alegrias na vida. Mas às vezes também trazem certa tristeza, quando se volta e compara o que se vê lá fora com a realidade de onde vivememos. Felizmente, eu já pude viajar para o dito “primeiro mundo”. Fiquei admirado com a organização e cordialidade que existem em alguns lugares. Fiquei admirado quando pela primeira vez, dentro de um supermercado, alguém pediu licença para passar por trás de mim em um corredor. Longe de poder me tocar, mas por simples cordialidade. De parar o carro na rua para que eu pudesse atravessar, mesmo sem nenhuma faixa de pedestre. Pela primeira vez, você fica até envergonhado ao ver que um caminhão parou só para você atravessar. Numa ocasião a vergonha foi até maior – eu não queria atravessar. Minha esposa estava do outro lado da rua tirando uma foto minha. Mas eu acabei por atravessar, como se a parada do caminhão tivesse sido um convite. Fazer o quê. Outra coisa impressionante. As pessoas simplesmente não jogam lixo no chão. É um conforto só, andar em ruas sem lixo. É lindo. Mas voltando à escada rolante, uma coisa que me espanta nos EUA (pelo menos onde já tive oportunidade de ir): as pessoas deixam um lado da escada rolante desimpedida para que outras com pressa passem. Simplesmente não consigo entender porque a maioria das pessoas no Brasil entopem a escada rolante e não deixam as outras passarem. Não entendo porque também não podem continuar subindo com os próprios músculos, usando a escada apenas como algo que as acelera. E se você pede licença, não raro recebe uma reprimenda.

Pense em sua saúde quando se deparar com uma escada rolante novamente…

Mauro.

Posted in Geral
7 comments on “Escada Rolante
  1. Alexandre says:

    Olá, estive no Chile em março e em todos os lugares, e especialmente no metro, um lado da escada está sempre-livre.

    Eduação e cordialidade.

  2. Camile says:

    Olá profª, Mauro, ótimo post. Muito interessante, pois não nos damos conta dos maiores riscos que nos cercam.
    Ps: daqui por diante começarei a usar a escada convencional mesmo.

    Abç.

  3. Lubia Selen says:

    Você deu o exemplo do corrimão e eu concordo, sem dúvida muitos homens saem do banheiro e não lavam as mãos, mas lembre-se, mulheres também fazem isso, sou mulher e conheço muitas que não lavam as mãos após sair do banheiro. Poderia reformular a frase e colocar: “já pensou na quantidade de pessoas que saem do banheiro e não lavam as mãos?”.

    Parabéns pelo post.

  4. Martiliano says:

    Sei que quem lêr meu comentário provavelmente ficará profundamente ofendido, mas o que esperar de um povo descendente da escória de varios países do mundo. Ai me perguntarão por que escória e eu responderei: Quem que bem sucedido financeiramente falando, pegaria sua familia e com as roupas do corpo e mais algumas malas atravessaria o oceano em direção ao um país desconhecido para tentar a sorte ?
    Será Que Eram os melhores da Italia? ou da Alemanha?, Portugal? Japão?
    Somos descendentes de fugitivos de seus paises e da mistura dessas nacionalidades, não da pra esperar muito, a nata européia ficou lá e é essa que vemos quando lá vamos. Aqueles que provavelmente criariam uma favela ou fariam um MST nos paises da europa viaram todos pra cá, por isso lá tem poucas favelas, lá ficaram os descendentes de bem sucedidos e aqui hoje estão os descendentes dos MST’s Europeus e de outras partes do mundo, carinhosamente chamados de imigrantes.

  5. Milton says:

    Se o Lucas acha que o pessoal do trânsito de Florianópolis é ligado a 330v fico imaginando qual a voltagem dos motoristas aqui de Curitiba. :)
    Tive a oportunidade de ir para Alemanha ano passado e é algo impressionante, mais ainda que nos EUA a educação das pessoas. Educação, cordialidade, harmonia para o convívio em sociedade. Só para dar um exemplo, nas autobahns mesmo com três ou quatro faixas, caminhões andam em fila na pista mais da direita. Basta passar na serra aqui a caminho de Florianópolis uma vez que já dá para ver o absurdo de caminhões ocupando três faixas na subida andando a 30 km/h. Este é só um entre centenas de exemplos que se pode ver lá fora. Voltar para o Brasil foi um choque, infelizmente. Respeito com pedestres então nem se fala.
    O pior de tudo é que o Brasil nunca (na minha opinião) vai mudar nesse aspecto. No nosso país todo mundo quer sempre tirar alguma vantagem, seja nas menores coisas ou nas maiores. Criticam políticos, criticam todo mundo, mas na hora que podem tirar alguma vantagem na “malandragem” vão lá e tiram. Para mim é tudo a mesma coisa.
    []s;

  6. Lucas S. Furghestti says:

    Bom texto Professor!

    Mas discordo com você em alguns pontos:

    Primeiro no higiênico: Se pararmos para pensar o quanto de sujeira que contem no corrimão da escada, no banheiro, no teclado, no mouse, no dinheiro, no ar … enfim.. iriamos ter que usar uma capsula imune a essas bactérias e microorganismos, ainda, não iriamos mais nos relacionar com as pessoas formalmente e intimamente ( com malícia mesmo ). o Contato com esses microorganismo existe e acho que o ser humano possui anticorpos para tais. Penso que podemos ficar tranquilo e se segurar bem firme no corrimão, rss ( lavar a mao antes das refeições ) .

    Ahhhh, Quanto a escada rolante, temos só uma em Tubarão ( que so sobe, rss ). Então não tenho muita experiancia com escadas rolantes.

    Já o fator Comportamental, infelizmente ainda não pude viajar para o Primeiro Mundo, porém posso lhe garantir que aqui em Tubarão, lógico que a minoria, mas encontramos muitas pessoas educadas ( ao contrário do que pude perceber no transito de Florianopolis, que parece-me que os motoristas são ligados a 330v ) e não respeitam os motoristas de fora, mas aqui temos os costume de parar em faixas e respeitar os pedestres ( se bem que há alguns pedestres que aacham que são feito de aço e se jogam na faixa ).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*